Carlos chegou ao escritório, uma vez mais estava sozinho, tentou lembrar-se de alguma vez ter visto outras pessoas ali mas não conseguiu. Sentou-se na secretária e olhou uns instantes para o teclado antes de começar a escrever. As teclas pareciam mais duras que o habitual… cada letra, cada símbolo apareciam no ecran de forma dolorosa. Quase conseguia ouvir os disparos dos electrões em direcção ao vidro do monitor. Quase sentia os electrões a esbarrarem no vidro, percebendo claramente o varrimento da nova imagem substituindo a anterior.
De repente tudo parece parar por um momento, a condensação que saía da sua boca devido ao frio permaneceu imobilizada no ar. Deixou de sentir o cheiro do perfume barato que tinha colocado nessa manhã, desde então tinha passado o que lhe parecia ser uma eternidade. O barulho das ventoínhas das máquinas que o rodeavam paravam suavemente num ritmo compassado e o teclado deixou de exercer pressão sobre os seus dedos enquanto ele continuava a escrever algo do qual já não se conseguia lembrar…
A visão foi a última coisa a desaparecer, as cores foram-se perdendo como se da pelicula de um filme antigo se tratasse e desapareceram num remoínho de tons de cinzentos até atingir a escuridão total.

Ao acordar ele ainda não tinha percebido o que sucedera, estava bastante dorido e era-lhe dificil elaborar um pensamento com algum sentido sem se perder e ficar desorientado novamente. A primeira coisa em que reparou foi o facto de ter demasiado pêlo nos braços e no restante do corpo como confirmou depois. Tentou andar, mas tinha muitas dificuldades em movimentar-se de forma erecta como qualquer outro humano… esbarrou nas grades da sua jaula e a dor trouxe consigo um conjunto de memórias que se começaram a encaixar e a dar forma à sua mente.
Ele tinha sido levado e ligado a máquinas que o tentaram transformar em humano!

A introdução dos primeiros espécimes de “macacos” alterados geneticamente no seu habitat foi no ano 2004, resultado de um projecto que pretendia obter seres capazes de comunicação com humanos e com símios, era uma oportunidade única de perceber como se deu o aparecimento da consciência e da inteligência. Porém a revelação das tentativas falhadas de clonagem de seres humanos provocavam a revolta na Sociedade do século XXI e levaram à proibição das esperiências genéticas por um tratado que uniu pela primeira vez todas as Nações do Mundo.
Desde então que a investigação científica se virou para a ligação do Homem à máquina e para a criação de uma Realidade Virtual que permitisse a fuga a um Mundo cada vez mais caótico e stressante.
No ano de 2101… após já ser possível a ligação neurológica do Homem ao Mundo Virtual, um grupo de investigadores portugueses recuperou o projecto “Humano” de uma forma completamente diferente. Aproveitando o cruzamento entre os “macacos” genéticamente alterados e os macacos originais durante 3 gerações, o que provocou a disseminação de um património genético mais próximo dos seres humanos criando uma na espécie, os investigadores pretendiam permitir a interacção entre esta nova espécie e os Humanos no Mundo Virtual.
Contudo as diferenças existentes entre os sistemas nervosos das duas espécies têm levantado problemas graves para uma ligação fiável à Realidade Virtual. E o facto de se estar a provocar na nova espécie uma tomada de consciência da sua própria existência parecia estar a destruir a ligação fiável ao sistema e a reacções de recusa em ceder a esta forma de prisão.

Artigos relacionados:

  • Não há artigos relacionados