Mais um caso, mais um exemplo, de a ficção científica se tornar (quase) realidade, ciência… e até, neste caso, jurisprudência? A PLMJ, sociedade de advogados cinquentenária e conceituada, decidiu incluir, no seu anual ciclo de conferências «O Direito em Perspectiva», uma intitulada «Inteligência artificial, Robots e Direito», que terá lugar no auditório da PLMJ, em Lisboa, na Avenidade da Liberdade, Nº 224, entre as 14.30 e as 18.30 horas do próximo dia 29 de Junho. Os temas das comunicações a proferir por juristas (e não só) especialistas incluem «Estatuto jurídico dos robôs autónomos», «A profissão de advogado na era da robótica», «Robots nos tribunais, experiências conhecidas», «Inteligência artificial e propriedade intelectual», «Justiça antecipatória» e «Inteligência artificial e decisão judicial». Esta conferência vem de certo modo na sequência de um debate sobre o mesmo assunto, denominado «Robótica, Inteligência Artificial e Propriedade Intelectual», realizado no passado dia 4 de Junho na Feira do Livro de Lisboa, também numa iniciativa daquela sociedade de advogados (com a colaboração da Universidade Católica Portuguesa), e em que participaram, entre outros, Manuel Lopes Rocha, sócio da PLMJ e coordenador da sua equipa de propriedade intelectual.

Artigos relacionados:

  • Não há artigos relacionados