A Rússia levou a cabo o segundo lançamento orbital de 2004 ao colocar em órbita o cargueiro Progress M1-11. O lançamento teve lugar às 1158:08UTC a partir do Complexo 17P32-5 (PC1 PU-5) do Cosmódromo GIK-5 Baikonur, Cazaquistão, e foi levado a cabo por um foguetão 11A511U Soyuz-U.

Antes do lançamento o Progress M1-11 tinha a designação 7K-TGM1 (11F615A55) nº 260. Após entrar em órbita terrestre o veículo recebeu a Designação Internacional 2004-002A e o número de catálogo orbital 28142. A NASA denomina o Progress M1-11 com a designação Progress-13 (o verdadeiro Progress-13 foi lançado a 23 de Maio de 1982 em direcção à estação espacial Salyut-7)

O Progress M1-11 ficou colocado numa órbita com um apogeu de 262,4 km de altitude, um perigeu de 191,1 km de altitude, uma inclinação orbital de 51,65º em relação ao equador terrestre e um período orbital de 88,73 minutos.

A acoplagem à ISS (módulo Zvezda) deverá ter lugar às 1317UTC do dia 31 de Janeiro de 2004.

O cargueiro transporta 2346 kg de mantimentos e materiais para a ISS, incluindo uma mangueira flexível para substituir a actualmente em uso no módulo Destiny e que causou uma fuga de ar, peças suplentes para a unidade de oxigénio russa Elektron, uma nova unidade Elektron, velas sólidas de oxigénio, baterias para os módulos Zarya e Zvezda, equipamento de análise de gases, equipamento de detecção e supressão de incêndios, um novo fato extravéicular russo Orlan, o conjunto experimental Matryoshka que será colocado no exterior do módulo Zvezda na próxima actividade extravéicular, filme, câmaras e cassetes.

Este foi o 4311º lançamento orbital desde Outubro de 1957, o 1128º lançamento orbital realizado a partir do Cosmódromo GIK-5 Baikonur e o 2714º lançamento orbital da Rússia (GIK-5 Baikonur – 1128; GTsP-4 Kapustin Yar – 84; GIK-1 Plesetsk – 1486; GIK-2 Svobodniy – 4; Mar de Barents – 1; Plt. Odyssey – 11).

Para o presente mês não estão previstos mais lançamentos orbitais.

Faltando aproximadamente 11 meses para o final de 2004, e tendo em conta os lançamentos ainda previstos até final do ano, este deverá ficar-se pelos 62 lançamentos orbitais, que representa um aumento de 1 lançamento em relação a 2003. Nesta fase é ainda difícil ter uma estimativa da totalidade dos lançamentos a ter lugar, podendo este número aumentar.

Até ao momento os lançamentos em 2004 distribuem-se pelos seguintes polígonos de lançamento:

GIK-5 Baikonur – 1 (21) Rússia (ILS)
GIK-1 Plesetsk – 0 (3) Rússia
GIK-2 Svobodniy – 0 (0) Rússia
Mar de Barents – 0 (1) Rússia
KSC / Cabo Canaveral – 0 (20) E.U.A. (ILS)
Vandenberg, AFB – 0 (8) E.U.A.
Jiuquan – 0 (0) China
Taiyuan – 0 (0) China
Xichang – 0 (2) China
Tanegashima – 0 (0) Japão
Kagoshima – 0 (0) Japão
Kourou – 0 (4) E.S.A. (Arianespace)
Alcântara – 0 (0) Brasil
Sriharikota Isl. – 0 (0) Índia
Palmachin – 0 (0) Israel
Odyssey – 1 (3) Sea Launch

Entre parêntesis encontram-se os valores que deverão ser atingidos a final de ano no que diz respeito a lançamentos que colocaram cargas em órbita terrestre ou em direcção a outro corpo celeste. Mais uma vez é de salientar que a previsão para o total de lançamentos orbitais ainda é muito preliminar, pois os dados relativos a lançamentos militares (principalmente russos) e ao calendário de lançamentos por parte da China, ainda são escassos.

O ano de 2004 deverá assim apresentar um valor ligeiramente superior a 2003 no qual se verificaram apenas 61 lançamentos orbitais, ficando muito longe do recorde estabelecido em 1984 com 129 (!!!!) lançamentos orbitais. Os últimos dez anos:

1994 – 89
1995 – 74
1996 – 73
1997 – 86
1998 – 77
1999 – 73
2000 – 82
2001 – 58
2002 – 62
2003 – 61
2004 – 02 (62)

FONTE: Rui C. Barbosa
Boletim ‘Em Órbita’ http://zenite.nu/orbita/
Braga – Portugal

Artigos relacionados:

  • Não há artigos relacionados