É mesmo verdade: foi há vinte anos atrás, em 1997, na altura dos 2os. Encontros de FC&F Na Periferia do Império, que a Simetria lançou o seu primeiro website.

Da responsabilidade gráfica e técnica de Luis Santana Rodrigues (também conhecido na altura como Lord Black Goblin), o primeiro website da Simetria foi desenvolvido «manualmente» em HTML, e era actualizado pelo Luis sempre que havia novidades. Embora já não seja visível, durante alguns dos primeiros Encontros, existia uma funcionalidade a que hoje chamaríamos live blogging, em que o Luis, na sede da Simetria, mantinha-se em contacto com os demais elementos da organização dos Encontros, e, à medida que haviam novidades — por exemplo, uma entrevista espontânea com um autor estrangeiro, ou uma alteração no programa do evento — estas eram actualizadas «em tempo real». A ideia era que as pessoas que conhecessem o site da Simetria, antes de se deslocarem ao evento, podiam consultar quaisquer alterações ou novidades no preciso instante em que estes eram também anunciados fisicamente no local.

Desenvolver websites de raíz em HTML (e não só; já havia alguma funcionalidade dinâmica, como a subscrição online da newsletter, por exemplo) e mantê-lo actual era uma missão quase impossível, numa altura em que haviam, de facto, muitas notícias para publicar online — e muito poucos sites sobre FC&F em Portugal, embora, claro está, já existissem alguns blogs mais ou menos actualizados, com resenhas de livros e críticas de cinema e séries de TV. A Simetria, no entanto, é provavelmente uma das mais antigas entidades em Portugal a manter uma presença contínua, no mesmo endereço, há vinte anos seguidos — se exceptuarmos os sites académicos institucionais, claro está, e a eterna revista Blitz, que foi pioneira na utilização da Internet para manter viva toda uma comunidade online.

De destacar a fabulosa colecção de ligações para uma quantidade extraordinária de websites sobre FC&F e para os respectivos autores, editoras, etc. — fruto de um trabalho árduo de pesquisa na ‘net (a Google só apareceu um ano depois, em 1998… sim, a Simetria é mais antiga do que a Google 😛) — e que procurava assim ajudar os fãs de FC&F a encontrarem tudo o que queriam. Manteve-se actualizado durante uns anos, mas, claro está, hoje em dia, vinte anos mais tarde, são muito raras as ligações que ainda funcionam, e muitas apontam para entidades que nada têm a ver com as originais…

Sempre interessada em encontrar novos autores, e em divulgá-los, já nesta altura a Simetria publicava online contos de vários autores; estes contos eram submetidos à apreciação do nosso querido amigo António de Macedo, que recentemente deixou este planeta, e publicados após revisão do mesmo.

Com o início do novo milénio (em 2001, não 2000!), mudou-se de tecnologia, e o site da Simetria recebeu um visual desenhado por uma empresa de design gráfico (que já não existe), instalado numa ferramenta de gestão de conteúdo. Neste novo «portal» passou a ser possível o trabalho colaborativo, existindo vários colaboradores, cada qual com o seu próprio acesso, editando diferentes áreas do «portal» — pois a Simetria, nessa altura, empenhava-se em manter activo o «portal da FC&F em Portugal»: um potencial ponto de entrada para qualquer pessoa que procurasse manter-se informado de tudo o que se passava no âmbito da FC&F em Portugal — embora, claro está, se fizessem várias referências ao que se passava «lá fora».

Este novo portal tinha também uma área para a Simetria Jovem, que era gerida por colaboradores deste núcleo orgânico da Simetria, e que desenvolvia a sua actividade em paralelo, focada nas acções para a juventude, usando o mesmo portal para manter informados os membros mais jovens. Mas também tinha novas secções, com informação específica sobre as séries na TV (por cabo…) de FC&F e informação sobre ciência (especialmente sobre astronomia, inteligência artificial, mundos virtuais…).

O principal problema com esta tecnologia, usada na altura em que haviam ainda poucas ferramentas de gestão de conteúdos, era que tinha sido desenvolvida por uma empresa portuguesa que apenas manteve a primeira versão em modelo open source; as versões seguintes passaram a requerer uma licença (bem cara, por sinal!) para a manter actualizada. Com o passar dos anos, esta ferramenta foi-se tornando progressivamente mais obsoleta, até que chegámos, por fim, à versão actual, que, tal como cerca de um quinto de todos os websites do mundo, corre em WordPress — para além da familiaridade com a ferramenta (o painel de controlo, ou backoffice, é precisamente o mesmo de milhões de outros websites — aprendendo-se a trabalhar com um deles, aprende-se a trabalhar com qualquer outro), esta também permite uma actualização constante (nunca fica «obsoleta») e, melhor ainda, é razoavelmente simples de alterar o aspecto gráfico, mantendo-se todo o conteúdo sem necessidade de proceder a conversões ou transferências do mesmo.

Encorajamo-vos a dar uma olhadela às versões primordiais do website da Simetria, mas devemos alertar para a antiguidade das mesmas: é muito possível que se tenham perdido muitas ligações, há partes dos respectivos websites que já não funcionam, outras partes têm caracteres «estranhos» (fruto da forma como os tipos de letra e a codificação dos acentos têm evoluído ao longo dos tempos…), e a velocidade de acesso não é a mesma. Não se deverão surpreender que o website mais antigo, de 1997, é na realidade mais rápido do que o de 2001: é que este último utiliza uma base de dados (muito lenta!) para guardar os conteúdos, enquanto que o website de 1997 só tem páginas HTML «feitas à mão» — ainda por cima, em HTML muito mais simples que o contemporâneo, o que significa que é muito mais rápido a carregar, mesmo que possam existir bastantes inconsistências e incompatibilidades, devido à forma como os browsers também evoluíram a renderizar o HTML…

Esperamos continuar por cá mais uns vinte anos! 😄

Artigos relacionados:

  • Não há artigos relacionados