Na sede em Lisboa da Culturgest, fundação da Caixa Geral de Depósitos para a arte e a cultura, vai decorrer este ano em três dias não consecutivos – 17 de Abril, 15 de Maio e 5 de Junho – um ciclo de debates com curadoria de Arlindo Oliveira, Ana Paiva, Liliana Coutinho e Mário Figueiredo subordinado ao tema «Inteligência Artificial – Aplicações, Implicações e Especulações».

Lê-se no texto de apresentação que «a Inteligência Artificial impõe-se cada vez mais na realidade das sociedades contemporâneas. Novos desenvolvimentos tecnológicos nascem todos os dias» mas porque «raramente o seu impacto é devidamente reflectido na esfera pública» e «assumindo a importância de conhecer e discutir esta realidade», esta iniciativa da Culturgest «promove o olhar e a reflexão sobre as aplicações actuais da Inteligência Artificial, as suas implicações sociais nas mais variadas dimensões (da saúde à privacidade, à empregabilidade e outras) e a forma como se imagina o futuro neste novo paradigma.»

A 17 de Abril falar-se-á de aplicações uma e outra vez; os oradores serão Luísa Coheur, Pedro Bizarro, Milind Tambe e Mário Figueiredo. A 15 de Maio falar-se-á de implicações e da «ascensão dos robôs»; os oradores serão Luís Moniz Pereira, Manuel Dias, Virginia Dignum e Martin Ford. A 5 de Junho falar-se-á de especulações e de «inteligência artificial humano compatível»; os oradores serão Ana Paiva, André Martins, Arlindo Oliveira e Stuart Russell. As  sessões deste ciclo terão lugar no grande auditório da Culturgest e a entrada será gratuita (sujeita à lotação e mediante levantamento do bilhete no próprio dia).

Como que em «complemento», ou «iustração», deste evento na Culturgest está ainda aberta – mas só até ao próximo dia 22 de Abril – no Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia a exposição «Olá, Robot – Desenho entre Humano e Máquina».