A antologia de contos de ficção científica e fantástico «Mensageiros das Estrelas», editada pela Fronteira do Caos e que eu concebi, co-organizei e em que participei, alcançou já uma considerável «cobertura noticiosa» no espaço virtual. De destacar os destaques dados por: Abracadabra; Bela Lugosi Is DeadBlogtailors; Correio do Fantástico (um, dois); Europa SF; Folha em BrancoIntergalactic Robot; Muito Para LerNebulosa; Nova ÁguiaOuroboros Lair; Pantapuff; Viagem a Andrómeda. E nos sítios dos próprios autores, como Blade Runner (João Seixas), O Relógio Avariado de Deus (Ozias Filho) e Tecnofantasia (Luís Filipe Silva), e nas páginas de Facebook de Cristina Flora, José António BarreirosMiguel Garcia e Sérgio Franclim.

Como já anunciei aqui, a antologia «Mensageiros das Estrelas» vai ser apresentada no último dia (30 de Novembro, às 17 horas) do colóquio com o mesmo nome, n(o anfiteatro 3 d)a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, mas estará à venda (neste momento, é essa a previsão) desde o primeiro dia (27). Então poder-se-á começar a ler e a apreciar os contos que a integram, e que, divididos em quatro capítulos («Alameda da Universalidade», «A Todo o Vapor», «A República Nunca Existiu! – Parte 2» e «Época de Apocalipses»), são: «Aventura Borgiana – Uma sinopse avançada», Nuno Fonseca; «Rapsódia sem dó (maior)», Luísa Marques da Silva; «Tour de main», Maria de Menezes; «As crianças nunca mentem», Cristina Flora; «Das Visitações», António Pedro Saraiva; «In Falsetto», Luís Filipe Silva; «A maratonista», Ozias Filho; «A realidade, não fora a loucura», João Afonso Machado; «Premonição», Ana Cristina Luz; «O preço de uma coroa», Sacha Andrade Ramos; «O príncipe mais que perfeito», Isabel Cristina Pires; «A conjura», António de Macedo; «No topo da cadeia alimentar», Pedro Manuel Calvete; «Anamorfose», José António Barreiros; «Assombração», Sérgio Franclim; «Segundo Ultimatum Futurista», Octávio dos Santos; «Subpólis», Miguel Garcia; «O confessor», João Seixas.

Entretanto, verificou-se igualmente uma alteração na composição da «mesa-redonda» de dia 28 às 17.30, em que eu participo: David Soares não poderá estar presente e será substituído por Luís M. R. Sequeira; uma troca que vai permitir a exibição das imagens mais recentes do projecto Ópera do Tejo/Lisboa Pré-1755, que iniciei e em que ambos participamos (ele muito mais do que eu), e que sem dúvida se integrará perfeitamente no tema da sessão, que é «Lisboa pela Máquina do Tempo».

Artigos relacionados:

  • Não há artigos relacionados