2019 acaba de chegar ao seu quarto mês e Bruno Martins Soares, nosso colega na Simetria, já tem dois livros editados neste ano. E poderá não se ficar por aqui; conhecendo o seu «ritmo», a sua produtividade e a sua criatividade, não seria de surpreender que até Dezembro mais alguns fossem lançados.

Em 9 de Fevereiro foi publicado, através da Amazon e em Inglês, «Laura and the Shadow King» («Laura e o Rei Sombra»). Eis a sinopse, numa tradução para Português: «Num mundo devastado por uma avassaladora doença de loucura, o Tenente J. J. Berger leva a sua equipa de operações especiais até ao Sul de Portugal para procurar os seus camaradas perdidos. O seu caminho irá cruzar-se com o de uma mulher misteriosa e da sua pequena filha, em fuga dos seus captores. Os estranhos poderes delas podem constituir a chave para um mundo melhor.»

A 5 de Abril (ou seja, na próxima sexta-feira) irá ser apresentado no Contacto 2019/Festival Literário de Ficção Científica e Fantasia, iniciativa organizada pela Imaginauta que decorrerá naquele dia e ainda no seguinte na Biblioteca de Marvila, «A Batalha da Escuridão». Eis a sinopse: «Num distante sistema solar estalou a guerra entre a União de Webbur, o Reino de Torrance, e o seu rival, a República de Axx. Byllard Iddo é um jovem que matou acidentalmente o seu pai numa sessão de artes marciais, partiu para se juntar à marinha espacial e fez-se tenente na poderosa marinha de Webbur, onde servirá em diversas naves e ante o perigo, à medida que a guerra cresce em violência. Recusando-se a desapontar a sua nova família, a marinha, embarca por fim numa desesperada missão para conter uma ameaça implacável: silenciosas, as naves invisíveis que dizimam os comboios de abastecimento que atravessam o Mar da Escuridão, o imenso espaço vazio entre Webbur e Torrance. Iddo está certo apenas de que muitos morrerão nas batalhas que se avizinham e que ele fará o que puder para trazer a guerra para mais perto do fim. Ao trilhar este caminho, viverá emoções fortes, o seu coração abalará e a sua força alterará os anais da Marinha Espacial de Webbur.» De notar que esta obra, editada pela Divergência, é a tradução para Português da versão original em Inglês, intitulada «The Dark Sea Chronicles», que BMS publicou em 2017 através da Amazon.

Recorde-se que foi com o seu conto «O nome do Rei», com o qual participou n’«A República Nunca Existiu!», antologia colectiva de história alternativa por mim concebida e organizada, que Bruno Martins Soares começou de facto a estabelecer-se como uma referência na FC & F portuguesa contemporânea, estatuto que confirmou com a saga «Alex 9». Do seu percurso, «currículo» e ideias, literárias mas não só, ele falou numa entrevista radiofónica concedida recentemente a Cristina Alves, que merece uma audição atenta.